Óleo de Coco, saiba um pouco mais

Médica nega que óleo de coco seja emagrecedor e vê perigo no uso

Pode ser na forma líquida, na forma de pílula, não importa. O óleo de coco é o assunto do momento quando a questão é a busca pelo emagrecimento. Muitos já aderiram à moda e tem até famoso que revelou a perda de diversos quilos com a ajuda deste elemento natural. Apesar de ele ser a febre do momento, médicos afirmam que o óleo de coco usado como suplemento é “pura ilusão e não adianta em nada” na perda de peso.
De acordo com a médica endocrinologista Cíntia Cercato, do grupo de obesidades do Hospital das Clínicas da USP (Universidade de São Paulo), não existe nenhum estudo científico que prove esta característica do produto.
– Esse modismo na utilização do óleo de coco não faz nenhum sentido com o intuito de emagrecer. Óleo de coco é gordura saturada, e em tese é uma gordura ruim. O que ele difere de outras gorduras é porque ele um ácido graxo composto de cadeia média ou seja, sua metabolização pelo organismo pode ser mais rápida que vários outros tipos de gordura.
Além de não ajudar a diminuir a silhueta, o óleo de coco como, qualquer outra gordura em excesso, pode aumentar o peso e colesterol, segundo Cíntia.
– Uma colher de óleo de coco tem mais caloria que uma colher de manteiga ou azeite. Qualquer gordura se consumida em excesso vai ocasionar problemas de saúde.
Para engrossar a lista dos malefícios ao corpo, a médica endocrinologista presidente do departamento de obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Rosana Radominski, informou que o óleo de coco em excesso pode prejudicar, por exemplo, pessoas que sofrem com problemas no fígado.
– Quem tem cirrose [doença que prejudica o funcionamento do fígado] e tiver uma sobrecarga de ácido graxo pode agravar ainda mais a situação da saúde dele.
Combinação de fatores
Defensor do uso do óleo de coco em substituição a outros óleos, o médico homeopata e autor do livro Poder Medicinal do Coco e do Óleo de Coco Extra Virgem, Márcio Bontempo, também disse não acreditar no uso deste elemento natural com o objetivo de perder peso. Porém, segundo ele, o óleo de coco pode ser benéfico à saúde se for usado no lugar de outros tipos de gordura que possuem cadeias longas demoram mais para se metabolizar.
– Este óleo atua na lipoproteína, ou seja, ele ajuda a reduzir o mau colesterol e tirar a gordura de áreas inconvenientes do corpo, por exemplo, a barriga. Porém, não pode ser utilizado desta maneira como está na moda. Duas colheres de sopa por dia em substituição funcionam, mas precisa estar associado a outras atividades, como exercícios físicos e dieta. Não há milagre nenhum.
Para Cíntia não há dúvidas que tantos famosos afirmaram recentemente a perda de calorias com uso de óleo de coco exatamente porque eles realizam constantemente dieta e muita malhação.
– Tudo isso faz parte do pacote para a perda de peso.
(Extra online)

Saiba mais

COLESTEROLO colesterol é importante para o organismo para sintetizar vitaminas e hormônios, mas eles não circulam livremente pelo sangue. Para fazer isso, é preciso que se juntem às lipoproteínas, como a  HDL (sigla para high density lipoproteins, ou lipoproteínas de alta densidade) e a LDL (low density lipoprotein, lipoproteínas de baixa densidade). A HDL impede que a LDL forme placas de gordura nas artérias que dão origem à aterosclerose, diminuindo ou obstruindo o fluxo sanguíneo, provocando infartos ou derrames.ÁCIDO GRAXOSSão as moléculas que compõem a gordura, que pode ser encontrada na natureza em formato sólido (gordura) ou líquido (óleos). São formados por cadeias de carbono, que se ligam a moléculas de hidrogênios. Quanto mais ligações na molécula, mais saturada é a gordura.GORDURA SATURADAAumenta o LDL no organismo, que se deposita nas artérias e eleva o risco de problemas cardíacos. Pode ser encontrada em frituras, carne vermelha e em laticínios em geral.GORDURA INSATURADADiferente das saturadas, ajuda a reduzir os triglicerídeos, um tipo de gordura que em alta concentração é prejudicial, e a pressão arterial. Pode ser monoinsaturada ou poli-insaturada. Essa última pode ser, por exemplo, Ômega 3 e 6, que são os chamados ácidos graxos essenciais e são as gorduras encontradas em peixes, linhaça, castanhas e azeite.

Ilusão — Por causa de resultados controversos como esses, que indicam tanto benefícios quanto malefícios do óleo de coco, sem confirmar nenhum dado e estabelecendo a necessidade de novos estudos, os médicos acreditam que incluir óleo de coco na dieta como um suplemento alimentar não é seguro. “Nenhum estudo feito sobre óleo de coco tem qualidade que garanta segurança dos resultados, além de não ter sido publicado em revistas médicas de excelência”, afirma Cíntia Cercato, endocrinologista da SBEM e do Hospital das Clínicas.


O endocrinologista Alfredo Halpern, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e autor do livro Pontos Para o Gordo, é mais taxativo. “O óleo de coco é uma grande enganação. É rico em gorduras saturadas, ou seja, em excesso faz mal, e não tem nenhuma dessas propriedades sobre as quais as pessoas vêm falando. É uma gordura como outra qualquer: pode ser consumida, mas também é capaz de engordar o indivíduo”, afirma.

O óleo de coco não precisa ser exterminado. Ele pode substituir outras gorduras, como manteiga, óleo de girassol e azeite, na preparação de alimentos, desde que haja bom senso. “A gordura não é proibida. O ideal é que ela represente, no máximo, 30% do total de calorias que consumimos ao dia, dependendo do tamanho, do peso e do estilo de vida do indivíduo. As gorduras saturadas, porém, não devem ultrapassar 7%”, diz o endocrinologista da SBEM e chefe do grupo de obesidade do Hospital as Clínicas da Faculdade de Medicina da USP Márcio Mancini.
Mancini, porém, reafirma: para emagrecer, o óleo de coco é uma bobagem. “Quem compra essa ideia joga dinheiro fora, se ilude com um caminho fácil para a perda de peso e acaba se decepcionando.”
Vivian Carrer Elias – Veja

Anúncios

celulite

 Fiz uma grande besteira! copiei este texto já faz um tempo de  outro blog, mas esqueci de copiar o endereço e agora não consigo me lembrar de quem é.  Bem se a autora passar por aqui me avise para dar os créditos. Em resumo adorei o que li e espero que voces também.

                                                            Hoje estou aqui, correndo com um vestido pra minha afilhada a Lorena, não sou costureira de roupas, mas, dou minhas cacetadas. Mas, vim aqui correndo pra dizer uma coisa, muito séria!

Tô com a televisão ligada só ouvindo, aí tem um programa meio inútil sobre mulheres, e  a chamada pro outro bloco foi assim: “No próximo bloco, falaremos sobre as terríveis celulites!”
Agora, eu queria perguntar: Por que é tão terrível??? Quando foi que deixamos de ser mulheres de verdade, nos preocuparmos com o “ser” verdadeiro? Que raio de neurose é essa da gente de nos desesperarmos com a estética??? Pelamordedeus!!!! Somos mulheres, trabalhamos, cuidamos dos filhos, maridos, casa etc, e pouco temos tempo pra nós mesmas, e ainda temos que nos preocupar com CELULITE. 
Será que isso é realmente sério? Mais sério que uma doença que nos leva a um tratamento complexo, mais sério que um filho internado, mais sério do que ter caráter e personalidade?
Por que nos preocupamos tanto com a estética ditada pela televisão?
Eu não tenho celulite, não sei se os maus hábitos ajudaram..rsrrsrsrs. Tô brincando, não tenho mesmo, mas, fico muito puta da vida quando vejo pessoas tão neuróticas com algo tão fútil!
Nós temos exemplos de amigas blogueiras passando por problemas realmente sérios e ainda vemos por aí gente preocupada com furinhos na bunda… sejamos sinceras, se nossos namorados/maridos/amantes e afins, reparam nessas característica FEMININA, eles não nos merecem de verdade.
Precisamos parar de pensar que a estética das novelas é verdadeira, verdadeiro mesmo são os profissionais do photoshop..r.srsrsrs.
Beijos meninas lindas e perfeitas com ou sem celulite.
Porque mulherão somos nós que cuidamos da família e estamos sempre felizes com o que Deus nos deu.
Paula

 Desse jeito ela logo, logo vai ficar igual a mim.

A Kate Moss é super magra, imaginem quando ela ganhar uns quilinhos a mais e ficar um ser humano normal, quero dizer comum.

dicas de beleza

 Com  verão a todo vapor,  aqui vão algumas dicas para manter sua pele hidratada, linda e conservada já   que o tempo passa rápido, 15, 25, 35, 45, 55 anos…


1-
Não tomar banho muito quente e demorado. A temperatura da água e o tempo de permanência no chuveiro podem fazer com que a pele perca sua hidratação natural. e as contas de luz e água vão agradecer.

2-
Os sabonetes comuns não são uma boa opção para o banho pois  contribuírem para a retirada da hidratação natural da pele, use sabonetes neutros. 

3-
Nossa pele  precisa de hidratação extra, por isso use filtros solares que contenham hidratante e após tomar sol use, se possivel, um bom hiratante e não se esqueça de beber muita, muita água mesmo – não é refrigerante.

4-
Uma boa dica para potencializar o efeito do hidratante é cobrir com plástico, tipo magipack, o local onde voce passou o creme.  Fazendo isso, a região vai aquecer e com o calor o produto agirá de forma mais efetiva e  rápida.

5-
Outra forma de evitar que a pele perca sua hidratação natural é evitar o uso de produtos de uso externo que contenham álcool em sua composição – o álcool retira a oleosidade natural da pele. Produtos para uso interno, tipo  caipirinhas, cervejinhas geladas e outra bebidas alcoolicas também fazem um estrago danado na pele, no figado, nos rins……

6- Cuidado com o sol 
O sol é taxado como um vilão para a saúde e de fato é perigoso, quando tem ação prolongada sobre a pele, que  pode levar ao temido câncer de pele. O que não se pode confundir é um Banho de sol de qualidade com uma insolação. Seu bronzeado vai agradecer e sua pele então vai adorar.


Mito ou verdade…//Alimentos



 
A sabedoria popular indica diversos alimentos para o tratamento de doenças, mas nem sempre o que é passado de boca 
a boca está correto. “Esses mitos, de que certos alimentos curam alguma enfermidade surge porque alguém comeu 
enquanto estava doente e depois saiu comentando que melhorou por causa daquele alimento”, comenta Vanderlí Marchiori, 
nutricionista e secretária geral da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva (ABNE). O UOL Ciência e Saúde ouviu 
especialistas para descobrir quais são os mitos e verdades relacionados aos poderes de alguns alimentos
Ameixa preta para acabar com a prisão de ventre – VERDADE Madalena Vallinoti, nutricionista do Personal Diet 
e diretora do Sindicato de Nutricionistas (SINESP), explica que por ter maior concentração de fibras e ácidos orgânicos, 
a fruta estimula o intestino e melhora eventuais constipações. “As enzimas facilitam a expulsão das fezes porque aceleram 
os movimentos intestinais”, completa Vanderlí Marchiori, nutricionista e secretária geral da Associação Brasileira de 
Nutrição Esportiva (ABNE)
Abacate para tratar bronquite – MITO O abacate tem muitas funcionalidades que podem ajudar no tratamento de 
doenças, mas não há evidências científicas de que ele participe no tratamento da bronquite. Vanderlí Marchiori, 
nutricionista e secretária geral da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva (ABNE) recomenda, para quem sofre da 
doença, fazer um xarope de mel. “É só ferver mel, gengibre, abacaxi e agrião, pois esses alimentos são mucolíticos, 
desinflamam e quebram o muco”, explica ela
Acerola para prevenir gripes – VERDADE A acerola é a segunda maior fonte de vitamina C e aumenta a imunidade 
de quem a consome. “A presença da vitamina é importante, pois ela é parte fundamental do mecanismo de proteção 
do nosso corpo e previne muitas gripes e resfriados”, exemplifica Vanderlí Marchiori, nutricionista e secretária geral 
da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva (ABNE)
Suco de batata inglesa para curar úlcera – MITO O suco de batata contém um fator antinutricional e não é recomendado 
por Vanderlí Marchiori, nutricionista e secretária geral da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva (ABNE). “Esse 
composto é prejudicial à saúde porque inibe a absorção de vitaminas e minerais, além de irritar a mucosa do intestino”, 
conta ela. Quem sofre de úlcera também deve evitar verduras e frutas cruas com casca, frituras, refrigerantes, bebidas 
alcoólicas e leite de vaca. “O ideal é que a pessoa também não consuma nada muito quente nem muito gelado, pois a 
temperatura queima a mucosa do estômago”, completa Vanderlí
Ameixa japonesa para melhorar a artrite – VERDADE A fruta concentra substâncias anti-inflamatórias, como o ômega 3, 
que podem acarretar na melhora da artrite. “Não é um alimento que previne a doença, pois existem questões genéticas
 que determinam se a pessoa irá desenvolver essa patologia, mas por ter essas substâncias ela pode sim contribuir para 
uma melhora do paciente”, explica Madalena Vallinoti, nutricionista do Personal Diet e diretora do Sindicato de
 Nutricionistas (SINESP), que ainda destaca que, por mais que a fruta tenha boas propriedades, ela sozinha não é capaz de 
tratar ninguém Thinkstock

 

Suco de beterraba para curar anemia – MITO Por ser vermelho, muitas pessoas acreditam que o vegetal tem ferro e 
que por isso teria a capacidade de acabar com a anemia. Madalena Vallinoti, nutricionista do Personal Diet e diretora 
do Sindicato de Nutricionistas (SINESP), explica que o ferro contido no vegetal é pouco e que para que ele possa 
ser absorvido pelo organismo precisa estar aliado a outro alimento que contenha vitamina C. “O ideal para quem está
com anemia é comer lentilha e feijão que tem maior quantidade de ferro”, destaca Thinkstock

 

Banana acaba com câimbras – VERDADE Rica em potássio e carboidrato, o consumo de banana ajuda a manter 
as contrações musculares equilibradas. “O alimento também tem magnésio, que relaxa a musculatura e precisa 
estar em equilíbrio com o cálcio, que contrai o músculo. Por isso, para não ter câimbra, também é preciso ter equilíbrio 
entre as concentrações de cálcio e magnésio”, explica Madalena Vallinoti, nutricionista do Personal Diet e diretora do 
Sindicato de Nutricionistas (SINESP)
Caju para curar frieiras – MITO Não há comprovação científica de que a fruta ajuda a combater a doença e 
nenhuma dos especialistas ouvidos pelo UOL Ciência e Saúde relacionaria a cura da frieira com algum alimento 
específico
Berinjela para diminuir o colesterol – VERDADE Por ter alta concentração de fibras e presença de substâncias bioativas, 
como a antocianidinas, o consumo da berinjela é importante para quem quer diminuir os níveis de LDL, colesterol ruim, 
no sangue. “Por ter muitas fibras solúveis, ela carrega a gordura para o intestino, que a elimina com as fezes, dessa maneira 
ajuda a diminuir a absorção de colesterol e gordura”, explica Madalena Vallinoti, nutricionista do Personal Diet e diretora 
do Sindicato de Nutricionistas
Cereja para combater o reumatismo – MITO A associação entre a fruta e a doença não é comprovada cientificamente. 
Vanderlí Marchiori, nutricionista e secretária geral da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva (ABNE), dá a dica de 
outros alimentos que podem ajudar quem sofre da doença. “Por ser uma inflamação, o ideal é consumir elementos com 
ômega 3 elevado, como os grão de chia, a linhaça e peixes, principalmente a sardinha”, conta ela que também indica o 
uso do gengibre como tempero nos alimentos para quem está com a doença
Cebola para prevenir o câncer de mama – VERDADE Em pesquisa realizada na Faculdade de Medicina de Besançon,
 na França, 345 pacientes que foram diagnosticadas com câncer de mama realizaram um questionário sobre a frequência 
com que consumiam alguns alimentos, além de escrever um diário com tudo o que comeram por seis dias. A pesquisa 
revelou que os riscos de desenvolver a doença eram menores para quem consumia cebola. “O alimento tem substâncias
 bioflavanóides que atuam junto com a vitamina C e tem ação anti-oxidante, isto é, combate os radicais livres que
 envelhecem as células e previnem uma série de doenças”, explica Madalena Vallinoti, diretora do Sindicato de Nutricionistas
Óleo de abacate para combater a caspa – MITO De acordo com a nutricionista Vanderlí Marchiori, nutricionista e 
secretária geral da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva (ABNE), a caspa é característica pela falta de zinco e o 
óleo de abacate não é uma fonte desse mineral. “Nesse caso, outros alimentos são indicados, como grãos integrais e 
frutos do mar”, completa ela
Cenoura para bronzeamento – VERDADE Por conter betacaroteno, uma substância que a ajuda a sintetizar a melanina 
que dá a cor a nossa pele, comer cenoura ajuda no bronzeamento. “Se uma pessoa consome regularmente o vegetal e 
depois de um tempo passa a tomar mais sol, a síntese aumenta e isso faz com que a pessoa consiga absorver os raios 
solares na pele. A cenoura também ajuda a fixar o bronzeado”, destaca Madalena Vallinoti, nutricionista do Personal Diet 
e diretora do Sindicato de Nutricionistas (SINESP)
Folhas de manga para curar a gengivite – MITO Não há comprovação científica de que o uso das folhas da fruta
 ajuda na cura da inflamação. Vanderlí Marchiori, nutricionista e secretária geral da Associação Brasileira de Nutrição
 Esportiva (ABNE), destaca o chá verde como um possível alimento auxiliar para a doença. “Como a bebida é bactericida 
ela mata bactérias e reduz inflamações em geral. 
Dessa maneira a incidência da doença é menor em quem o consome”, afirma ela
Chá de cabelo de milho para tratar o rim – VERDADE Por possuir um conjunto de fitoquímicos que estimulam a 
função renal, ele é diurético e bom para o rim. “Tomar duas xícaras desse chá por dia já faz a diferença para quem
 está com algum problema no órgão”, explica Vanderlí Marchiori, nutricionista e secretária geral da Associação
 Brasileira de Nutrição Esportiva
Leite para eliminar veneno – MITO O consumo de leite após ingestão de alguns tipos de veneno poderia, inclusive, 
formar compostos tóxicos no organismo. De acordo com Vanderlí Marchiori, nutricionista e secretária geral da Associação 
Brasileira de Nutrição Esportiva (ABNE), o fígado seria o órgão mais afetado, pois é nele que ocorre o metabolismo de 
pesticidas e venenos. A nutricionista indica apenas o consumo de chá cardo mariano para ajudar na recuperação. “
Não existe um alimento que sequestre o veneno do corpo depois de ingerido, mas esse chá ajuda a regenerar as 
células do fígado e melhora a desintoxicação do corpo”, comenta ela
Chá de pata de vaca para abaixar a glicemia – VERDADE De acordo com a Revista Eletrônica de Farmácias, a folha 
da planta Bauhinia forficata se mostrou eficiente como terapia complementar aos diabéticos em diversos estudos, 
pois abaixa a glicemia. Seu uso é indicado especialmente para os diabéticos tipo 2, que não tomam insulina. 
Vanderlí Marchiori, nutricionista e secretária geral da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva (ABNE), 
adverte que o consumo do chá não deve ser consumido sem orientação especializada, pois em combinação
 com os remédios antidiabéticos e a insulina pode causar hipoglicemia
Mamão para a tratar gastrite – MITO O mamão é rico em papaína, uma enzima digestiva que auxilia no processo,
 mas não cura a inflamação sozinha. “A polpa do mamão conta com essa enzima que digere melhor proteínas e 
gorduras e é indicado para quem tem sintomas de má digestão. O indicado é consumir uma fatia grande de mamão formosa 
ou meia unidade de papaia”, explica Vanderlí Marchiori, nutricionista e secretária geral da Associação Brasileira 
de Nutrição Esportiva (ABNE). A nutricionista indica para gastrite o consumo de banana cozida, pois é um alimento 
que ajuda na recuperação da doença e é de fácil digestão
Chá de boldo para tratar o fígado – VERDADE Segundo pesquisa publicada na Revista Brasileira de Farmacognosia, 
o chá de boldo érapidamente absorvido, instala-se no fígado e ajuda a evitar o acúmulo de gordura. “Quem bebe 
frequentemente e em grandes quantidades acumula gordura no fígado e isso faz mal para o organismo”, 
explica Madalena Vallinoti, nutricionista do Personal Diet e diretora do Sindicato de Nutricionistas (SINESP). 
A nutricionista, entretanto afirma que não adianta tomar muitas xícaras da bebida para curar a ressaca. “O ideal é
tomar no máximo duas xícaras”, ensina ela

 
Laranja e limão cortam a gripe – MITO Ainda que ambas as frutas sejam ricas em vitamina C, não é possível dizer 
que acabem com a gripe. “A gripe é virótica, não tem como usar a laranja ou o limão para matar esse vírus. O consumo
 periódico dessas frutas aumenta a imunidade pelo conjunto de vitaminas que elas têm, portanto só ajudam a 
prevenir futuras doenças”, explica Vanderlí Marchiori, nutricionista e secretária geral da Associação Brasileira de 
Nutrição Esportiva (ABNE) Karime Xavier/Folhapress

 

Leite fermentado para combater a diarreia – VERDADE O leite fermentado tem lactobacilos responsáveis por
 repovoar o intestino de microorganismos que fazem bem para o funcionamento da flora intestinal. “Quando se
 toma um antibiótico, por exemplo, ele não destrói só o microorganismo que causa a doença, ele também acaba com 
alguns que são bons, portanto o leite fermentado ajuda a manter esse equilíbrio”, explica Madalena Vallinoti, nutricionista 
do Personal Diet e diretora do Sindicato de Nutricionistas (SINESP). Ela indica o uso contínuo da bebida, pois 
mantém a parede intestinal mais sau
Linhaça para combater o reumatismo – VERDADE O alimento é fonte de ômega 3 e outras substâncias anti-inflamatórias 
muito importantes para combater a doença. Mas Madalena Vallinoti, nutricionista do Personal Diet e diretora 
do Sindicato de Nutricionistas (SINESP), acrescenta, “Não adianta o alimento ter todas as propriedades anti-inflamatórias 
que podem ajudar no tratamento da doença se a pessoa não tiver alimentação e hábito
Maçã e goiaba prendem o intestino – VERDADE As frutas reduzem o trânsito intestinal e retardam o esvaziamento do 
órgão. “Como elas tem fitoquímicos que retardam o esvaziamento intestinal são muito recomendadas em caso de diarreia. 
Mas elas não reduzem a formação de fezes, apenas tornam o movimento intestinal mais demorado”, explica Vanderlí 
Marchiori, nutricionista e secretária geral 
da Associação
Maracujá como calmante – VERDADE Os efeitos calmantes do consumo da polpa de maracujá ou chá, na forma de infusão
 de folhas, já são conhecidos pela ciência. Entretanto, o consumo deve ser moderado, sem doses exageradas, e não é 
indicado para quem tem pressão sanguínea baixa. Além de ser calmante, a fruta é diurética, rica em vitamina C e sua casca 
também pode ajudar no tratamento de outras doenças. “A casca pode ser seca e torrada para depois ser acrescentada na 
alimentação, pois as fibras ajudam a diminuir níveis de glicose e colesterol no sangue”, explica Madalena Vallinoti, 
nutricionista do Personal Diet e diretora do Sindicato de Nutricionistas (SINESP)
Tomate para prevenir câncer próstata – VERDADE Alimentos ricos em caroteno, como o tomate (que possui licopeno), são 
associados a um risco menor de desenvolver câncer de próstata. Madalena Vallinoti, diretora do Sindicato de Nutricionistas 
(SINESP), destaca que como o caroteno é uma pró-vitamina A lipossolúvel (solúvel em gordura) deve ser consumido com 
uma fonte de gordura, como o azeite de oliva 
extra virgem, para melhorar a absorção do composto pelo corpo. Vanderlí Marchiori, nutricionista e secretária geral da 
Associação Brasileira de Nutrição Esportiva (ABNE), recomenda triturar o tomate orgânico, fervê-lo por dez minutos e 
beber 50 ml todos os dias

DEPRESSÃO É COISA SÉRIA

Minha querida amiga, Rita, me passou este texto atraves de e_mail e achei muito interessante, por isso estou postando aqui, já que a depressão é o mal da modernidade. Espero que ajude  quem estiver com este problema ou convivendo com alguem depressivo.
A depressão é um dirtúrbio da emoção que afeta o corpo, o humor e o pensamento; diminue o apetite e afeta o sono, a forma como a pessoa se sente e como pensa. Não é uma tristeza passageira, não é sinal de fraqueza das pessoas ou uma condição que possa ser revertida com força de vontade. A difícil convivência com um depressivo não é tão conhecida como deveria. Muitos de nós temos a convicção de que a depressão não é uma doença tão grave e maléfica. O dicionário Aurélio a define como “o ato de deprimir-se; abatimento moral ou físico”. Alguns acham que depressão é doença de pessoas frágeis e cheias de problemas psicológicos e outros acham que é doença de rico, como dizem que é a enxaqueca. Outros ainda pensam que não é difícil de ser curada. Muitos acham que com uma consulta a um bom psicológo ou a um psiquiatra, resolve-se facilmente o problema.
Mas não é assim. Não é algo simples e corriqueiro. É muito difícil ajudar um depressivo. Qualquer contrariedade, por menor que seja, é encarada como uma tragédia que abate grandemente o ânimo da pessoa levando-as, na maioria das vezes, ao destempero e irritação profunda. E a pessoa assume sempre em todos os momentos e acontecimentos do dia a dia a posição de vítima, perseguida, menosprezada, humilhada e desconsiderada. Qualquer atitude que não seja de absoluto amor, carinho e consideração para com ela, a agride desagradando-a profundamente. Com essas atitudes intensamente negativas em relação a si mesma e aos outros, ela estabelece uma barreira invisível que a circunda e ninguém que conviva ou se relacione com ela, consegue estabelecer uma convivência normal e sadia, impedidos que ficam de ultrapassar esta barreira. Manifesta-se nela uma extrema repulsa e desconfiança de tudo e de todos. E, por caraterística da própria doença, o deprimido busca sempre o lado ruim das pessoas e quando não o encontra ele o cria, através de suas atitudes de extremo mau humor e desespero.
No relacionamento com uma pessoa que sofre desse mal, não devemos culpá-la em hipótese alguma por suas atitudes e reações erradas, do mesmo modo que não podemos culpar um doente por sua doença e nem nutrirmos antipatia contra ele. Odiar o doente pelo fato de estar doente não é uma atitude inteligente e lúcida e nem civilizada. Um doente precisa de remédios, ajuda, tratamento e muitas vezes de respeito, carinho e amor, principalmente quando se trata de um amigo, um parente ou um cônjuge. Até por que qualquer atitude diferente destas, agravará o estado do doente, e, em se tratando de um depressivo, afetará toda a convivência familiar, surgindo daí, mais aborrecimentos e contrariedades.
É preciso exercitar ao extremo a paciência, o que não será tão difícil se o doente for uma pessoa da qual gostamos ou amamos, como acontece via de regra. E se não for, essa mesma paciência é imprescindível, para que prevaleça um bom relacionamento do doente, com todos os quais se relaciona.
Desta atitude surgirá então mais compreensão, mais aceitação dos infortúnios por parte do depressivo, por suas próprias falhas e erros, os quais também nós cometemos como qualquer pessoa normal. Afinal, ninguém é perfeito. A prática permanente desse modo de conviver com um depressivo, poderá trazer grandes alegrias ao próprio doente e aos que com ele convivem, na medida em que atitudes inteligentes e solidárias sejam tomadas em seu favor pelos que o cercam.
Estou convencido de que muito mais do que assistência médica e uso de remédios – que são imprescindíveis – o depressivo precisa de compreensão, carinho e apoio – mesmo quando está errado – das pessoas  mais próximas do seu relacionamento. A vida é uma sucessão de experiências boas e más e precisamos compreender que o depressivo age do modo que age não por iniciativa dele mesmo ou por ato da sua vontade, mas em consequência de sua doença. Ele é uma vítima indefesa que precisa de ajuda, e ao perceber que essa ajuda não vem, se desespera e propicia mais combustível para o fogo destruidor do mal que o acomete.
Nenhum doente carece mais da compreensão das pessoas do que o depressivo, por que ele não depende exclusivamente dos remédios mas sim de amigos incondicionais que estejam dispostos a dar de sí sem esperar que se lhes dê razão. Este tipo de relacionamento pode ser mais bem definido pela palavra amor. É fundamental na recuperação do depressivo que ele sinta que é amado e compreendido mesmo quando está errado, diferentemente de todas as doenças, pois o seu mal é muito mais de origem psicológica do que física. É preciso devolver-lhe a confiança mostrando-lhe que ele não está só, que existem pessoas que o amam e se preocupam com ele.
Agindo assim, esta doença tão comum nos dias de hoje, poderá ser vencida. Mas, não se pode negar que o caminho é muito difícil e cheio de percalços, idas e vindas, exigindo por isso mesmo, paciência, desprendimento e muita determinação. Tudo isso mesclado com muito, muito amor.
Autor: Ebenézer Anselmo.

Aprenda a controlar a respiração e livre-se da ansiedade

Você talvez já tenha notado que, quando está preocupado com alguma coisa, seu coração dispara e muitas vezes você parece não conseguir encher suficientemente de ar os pulmões. Quanto mais se esforça para voltar ao normal, pior as coisas parecem ficar. Em tais situações, esqueça o velho truque do “respire dentro de um saco de papel” para se acalmar e ajudar a recuperar o fôlego. Em vez disso, experimente uma das seguintes táticas:
1 – Deite-se no chão – em um local silencioso, se possível. Coloque uma das mãos no peito e pressione suavemente para limitar o sobe-e-desce, enquanto tenta respirar normalmente. Faça isso por pelo menos cinco minutos, o tempo todo usando a mão para controlar o ritmo respiratório. A sua meta é manter os movimentos do peito o mais reduzidos possível, enquanto estimula outras partes do corpo, como o diafragma, a estabelecer o ritmo de sua inspiração e expiração. Se conseguir, afaste-se da fonte de sua ansiedade. Tente se imaginar numa situação relaxante, como aconchegado no sofá, lendo um livro ou assistindo à televisão, ou tomando um banho morno. Pense em como você respiraria nessa circunstância. Permaneça concentrado nesse estilo tranqüilo de respiração e logo vai começar a recuperar o fôlego e o controle.
2 – Batuque – Pesquisas demonstram que batucar em grupo é uma ótima forma de aliviar o estresse. Um estudo comparou a composição química do sangue de 50 pessoas, incluindo algumas que participavam de uma roda de batuqueiros e outras que apenas permaneciam sentadas ouvindo os tambores. Descobriu-se que os batuqueiros tinham níveis muito mais baixos de cortisol, o hormônio do estresse, e níveis bem mais altos de imunidade natural. O Hospital John Radcliffe, na Inglaterra, inseriu reuniões de batuque para a sua equipe como forma de relaxar as tensões do dia de trabalho. (Fonte: Dicas Secretas – Reader’s Digest)

Cientistas descobrem genes relacionados com as enxaquecas

Cientistas descobriram um trio de genes vinculado com as enxaquecas, inclusive um relacionado exclusivamente com as as mulheres, segundo um estudo publicado na revista britânica Nature Genetics.
As enxaquecas são dores de cabeça intensas – às vezes com uma “aura”, na qual os pacientes têm a impressão de olhar através de vidro congelado -, e que afetam cerca de 20% da população.
Os cientistas descrevem a condição, que é três a quatro vezes mais comum entre as mulheres, como uma desordem cerebral em que os neurônios ou células cerebrais respondem de forma anormal a estímulos.
A causa exata é desconhecida, mas acredita-se que fatores hereditários tenham um papel significativo.
Para ter acesso ao componente genético, Markus Schuerks, do Hospital Brigham para Mulheres, em Boston, coordenou uma varredura internacional de genomas com 23.230 mulheres, das quais 5.122 sofriam de enxaqueca.
Os chamados estudos de associação genômica comparam diferenças entre indivíduos nos cerca de três bilhões de pares dos blocos de construção molecular encontrados no código genético humano.
O estudo é o maior do tipo feito até agora. Ele descobriu variações em três genes que apareceram mais frequentemente em pacientes com enxaqueca.
Dois deles, conhecidos como PRDM16 e TRPM8, eram específicos de enxaquecas, e contrários a outros tipos de dores de cabeça.
Além disso, o TRPM8 se vinculava a enxaquecas unicamente em mulheres. Estudos anteriores demonstraram que o mesmo tipo de gene contém o “marcador” genético de um sensor de dor, tanto em homens quanto em mulheres.
O terceiro gene suspeito, o LRP1, está vinculado com a percepção do mundo exterior e em trajetos químicos dentro do cérebro.
“O cérebro de uma pessoa com enxaqueca responde de forma diferente a alguns estímulos, suas células nervosas ‘conversam’ de forma diferente do que os demais”, explicou Shuerks por e-mail.
“Muitos neurotransmissores participam desta conversa cruzada e alguns parecem ter um papel especial nas enxaquecas. O LRP1 interage com alguns destes caminhos de neurotransmissores e, portanto, podem modular as respostas nervosas que promovem ou suprimem as crises de enxaqueca”, acrescentou.
Nenhuma das variedades genéticas apareceu vinculada especificamente a enxaquecas com ou sem auras.
As descobertas, publicadas na revista Nature Genetics, foram replicadas em dois estudos menores com populações, um na Holanda e outro na Alemanha, e em um grupo clínico acompanhado pelo International Headache Genetics Consortium.
“A herança de qualquer uma das variedades genéticas altera os riscos de enxaqueca em 10% a 15%”, disse Schuerks.
A influência destes genes provavelmente não é grande o suficiente para ser imediatamente usado como uma ferramenta de diagnóstico. Mas o resultado “é um avanço na compreensão da biologia da enxaqueca”, afirmou.

PARA TER UM INFARTO FELIZ !!!

APRENDA A TER UM INFARTO!
         É muito simples !
       DOZE CONSELHOS


       Dr. Ernesto Artur – Cardiologista

Quando publiquei estes conselhos ‘amigos-da-onça’ em meu site,
recebi uma enxurrada de e-mails, até mesmo do exterior, dizendo que
isto lhes serviu de alerta, pois muitos estavam adotando esse tipo de
vida inconscientemente.

1. Cuide de seu trabalho antes de tudo.  As necessidades pessoais e
familiares são secundárias.

2 Trabalhe aos sábados o dia inteiro e, se puder também aos
domingos.

3. Se não puder permanecer no escritório à noite, leve trabalho
para casa e trabalhe até tarde.

4. Ao invés de dizer não, diga sempre sim a tudo que lhe
solicitarem.

5. Procure fazer parte de todas as comissões, comitês, diretorias,
conselhos e aceite todos os convites para conferências, seminários,
encontros, reuniões, simpósios etc.

6. Não se dê ao luxo de um café da manhã ou uma refeição
tranqüila. Pelo contrário, não perca tempo e aproveite o horário
das refeições para fechar negócios ou fazer reuniões importantes..

7. Não perca tempo fazendo ginástica, nadando, pescando, jogando
bola ou tênis. Afinal, tempo é dinheiro.

8. Nunca tire férias, você não precisa disso. Lembre-se que você
é de ferro. (e ferro , enferruja!!. .rs)

9. Centralize todo o trabalho em você, controle e examine tudo para
ver se nada está errado.. Delegar é pura bobagem; é tudo com você
mesmo.

10. Se sentir que está perdendo o ritmo, o fôlego e pintar aquela
dor de estômago, tome logo estimulantes, energéticos e anti-ácidos.
Eles vão te deixar tinindo.

11. Se tiver dificuldades em dormir não perca tempo: tome calmantes
e sedativos de todos os tipos. Agem rápido e são baratos.

12. E por último, o mais importante: não se permita ter momentos de
oração, meditação, audição de uma boa música e reflexão sobre
sua vida. Isto é para crédulos e tolos sensíveis.

Repita para si: Eu não perco tempo com bobagens.
Duvido que voce não tenha um belo infarto se seguir os conselhos
acima!!!
IMPORTANTE:
OS ATAQUES DE CORAÇÃO

Uma nota importante sobre os ataques cardíacos..
Há outros sintomas de ataques cardíacos, além da dor no braço
esquerdo(direito). Há também, como sintomas vulgares, uma dor
intensa no queixo, assim como náuseas e suores abundantes.

Pode-se não sentir nunca uma primeira dor no peito, durante um
ataque cardíaco. 60% das pessoas que tiveram um ataque cardíaco
enquanto dormiam, não se levantaram… Mas a dor no peito, pode
acordá-lo dum sono profundo.

Se assim for, dissolva imediatamente duas Aspirinas na boca e
engula-as com um bocadinho de água. Ligue para Emergência (192, 193
ou 190) e diga ”ataque cardíaco” e que tomou 2 Aspirinas. Sente-se
numa cadeira ou sofá e force uma tosse, sim forçar a tosse pois ela
fará o coração pegar no tranco; tussa de dois em dois segundos,
até chegar o socorro.. NÃO SE DEITE !!!!

Como Evitar o Desperdício

Ano Novo é hora de nos concientizarmos de que o mundo precisa mudar e essa mudança começa conosco mesmo.  Que tal diminuirmos nosso lixo domestico.

O Brasil é campeão mundial em desperdício de alimentos. Todo ano, joga na lata de lixo o equivalente a 12 bilhões de reais em comida, quantidade suficiente para sustentar 30 milhões de pessoas. Dos 43,8 milhões de toneladas anuais de lixo geradas no país, 26,3 milhões são de comida. O esbanjamento começa no plantio e se repete na colheita, no transporte, na armazenagem, em supermercados, feiras, restaurantes, despensas e cozinhas. 
Muitas vezes não percebemos mas, todos os dias, deixamos de consumir uma quantidade considerável de vitaminas presentes nos alimentos. Casca de ovo, sementes de abóbora, etc. Inúmeros são os exemplos de “restos” de alimentos de alto teor vitamínico que, na preparação de refeições, acabam indo parar na lata de lixo. 
Para termos uma idéia do que costumamos perder, apenas 100 gramas de rama de cenoura têm 25,5 mg de ferro e essa quantidade é o dobro da necessidade diária de ferro para um adulto. Essa parte da cenoura, além de ajudar na conservação do legume, pode ser usada posteriormente na preparação de arroz ou saladas.

Reaproveitamento de restos de alimentos essa é a idéia

Aproveitar sobras e aparas, desde que mantidas em condições seguras até o preparo:

* Carne assada: croquete, omelete, tortas, recheios etc.;

* carne molda: croquete, recheio de panqueca e bolo salgado;

* Arroz: bolinho, arroz de forno, risotos;

* Macarrão: salada ou misturado com ovos batidos;

* Hortaliças: farofa, panquecas, sopas, purês;

* Peixes e frango: suflê, risoto, bolo salgado;

* Aparas de carne: molhos, sopas, croquetes e recheios;

* Feijão: tutu, fejtão tropeiro, virado e bolinhos;

* Pão: pudim, torradas, farinha de rosca, rabanada;

* Frutas maduras: doces, bolo, sucos, vitaminas, geléia;

* Leite talhado: doce de leite.

Alimentos que podem ser aproveitados integralmente:
* Folhas de: cenoura, beterraba, batata doce, nabo, couve-flor, abóbora, mostarda, hortelã e rabanete;

* Cascas de: batata inglesa, banana, tangerina, laranja, mamão, pepino, maçã, abacaxi, berinjela, beterraba, melão, maracujá, goiaba, manga, abóbora;

* Talos de: couve-flor, brócolis, beterraba;

* Entrecascas de melancia, maracujá;

* Sementes de: abóbora, melão, jaca;

* Nata;

* Pão amanhecido;

* Pés e pescoço de galinha;

* Tutano de boi.

Fonte: Mesa Brasil Sesc – Segurança Alimentar e Nutricional