Serenidade

Senhor, dê-me serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar,
a coragem para mudar as coisas que não posso aceitar
e a sabedoria para esconder os corpos daquelas pessoas que eu tive que matar por estarem me enchendo o saco.

Também, me ajude a ser cuidadoso com os calos em que piso hoje, pois
eles podem estar conectados aos sacos que terei que puxar amanhã.

Ajude-me, sempre, a dar 100% no meu trabalho…
– 12% na segunda-feira,
– 23% na terça-feira,
– 40% na quarta-feira,
– 20% na quinta-feira,
– 5% na sexta-feira.

E… Ajude-me sempre a lembrar,
quando estiver tendo um dia realmente ruim e todos parecerem estar me enchendo o saco,
que são necessários 42 músculos para socar alguém e apenas 4 para estender meu dedo médio e mandá-lo para aquele lugar…

Que assim seja!!!

Viva todos os dias de sua vida como se fosse o último.
Um dia, você acerta.

Luís Fernando Veríssimo

CONTO DE FADAS I PARA MULHERES DO SÉCULO 21

Minha amiga, Dada, me mandou este texto que achei super, mega hilário

       Era uma vez uma linda moça que perguntou a um lindo rapaz:
       – Você quer casar comigo?
       Ele respondeu:
 
     – NÃO!
 
     E a moça viveu feliz para sempre, foi viajar, fez compras, conheceu muitos
     outros rapazes ,transou bastante, visitou muitos lugares, foi morar na
     praia, comprou outro carro, mobiliou sua casa, sempre estava sorrindo e de
    bom humor, nunca lhe faltava nada, bebia cerveja com as amigas sempre que
     estava com vontade e ninguém mandava nela.
     O rapaz ficou barrigudo, careca, o pinto caiu, a bunda murchou, ficou
     sozinho e pobre, pois não se constrói nada sem uma MULHER.

     FIM!!!
     (Luís Fernando Veríssimo)
 

DESABAFO DE UM BOM MARIDO

  Minha esposa e eu sempre andamos de mãos dadas. Se eu soltar, ela vai às compras.


Ela tem um liquidificador elétrico, uma torradeira elétrica, e uma máquina de fazer pão elétrica.
Então ela disse: ‘Nós temos muitos aparelhos, mas não temos lugar pra sentar’.
Daí comprei pra ela uma cadeira elétrica.

Eu me casei com a ‘Sra. Certa’. Só não sabia que o primeiro nome dela era ‘Sempre’.

Já faz 18 meses que não falo com minha esposa. É que não gosto de interrompê-la.
Mas tenho que admitir, a nossa última briga foi culpa minha. Ela perguntou: ‘O que tem na TV?’ E eu disse ‘Poeira’.
No começo Deus criou o mundo e descansou.
Então, Ele criou o homem e descansou. Depois, criou a mulher. Desde então, nem Deus, nem o homem, nem o Mundo tiveram mais descanso.
Quando o nosso cortador de grama quebrou, minha mulher ficava sempre me dando a entender que eu deveria consertá-lo. Mas eu sempre acabava tendo outra coisa para cuidar antes, o caminhão, o carro, a pesca, sempre alguma coisa mais importante para mim. Finalmente ela pensou num jeito esperto de me convencer.
Certo dia, ao chegar em casa, encontrei-a sentada na grama alta, ocupada em podá-la com uma tesourinha de costura. Eu olhei em silêncio por um tempo, me emocionei bastante e depois entrei em casa. Em alguns minutos eu voltei com uma escova de dente e lhe entreguei.
‘- Quando você terminar de cortar a grama,’ eu disse, ‘você pode também varrer a calçada.’ Depois disso não me lembro de mais nada. Os médicos dizem que eu voltarei a andar, mas mancarei pelo resto da vida’.
‘O casamento é uma relação entre duas pessoas na qual uma está sempre certa e a outra é o marido...

Luís Fernando Veríssimo