As 4 Leis da Espiritualidade ensinadas na Índia



A primeira diz: “A pessoa que vem é a pessoa certa“.

Ninguém entra em nossas vidas por acaso. Todas as pessoas ao nosso redor, interagindo com a gente, têm algo para nos fazer aprender e avançar em cada situação.

A segunda lei diz: “Aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido“.

Nada, absolutamente nada do que acontece em nossas vidas poderia ter sido de outra forma. Mesmo o menor detalhe. Não há nenhum “se eu tivesse feito tal coisa…” ou “aconteceu que um outro…”. Não. O que aconteceu foi tudo o que poderia ter acontecido, e foi para aprendermos a lição e seguirmos em frente. Todas e cada uma das situações que acontecem em nossas vidas são perfeitas.

A terceira diz: “Toda vez que você iniciar é o momento certo“.

Tudo começa na hora certa, nem antes nem depois. Quando estamos prontos para iniciar algo novo em nossas vidas, é que as coisas acontecem.

E a quarta e última afirma: “Quando algo termina, ele termina“.

Simplesmente assim. Se algo acabou em nossas vidas é para a nossa evolução. Por isso, é melhor sair, ir em frente e se enriquecer com a experiência. Não é por acaso que estamos lendo este texto agora. Se ele vem à nossa vida hoje, é porque estamos preparados para entender que nenhum floco de neve cai no lugar errado.

Mário Sergio Cortella




Em busca de sentido
Enxergar um significado maior na vida aproxima o tema da espiritualidade 
do mundo do trabalho.

Ultimamente tem-se falado em empresa espiritualizada, líder espiritualizado

A crescente frequência com que os termos têm adentrado no universo corporativo pode ser interpretada como um indício de que uma busca por um novo modo de vida e convivência está em curso?

É um sinal, que às vezes é positivo, outras vezes não, porque se pode cair numa dimensão esotérica, que é perigosa. 

Mas a espiritualidade no mundo do trabalho é necessária. 

O que é espiritualidade? 

É a sua capacidade de olhar que as coisas não são um fim em si mesmas, que existemrazões mais importantes do que o imediato

Que aquilo que você faz, por exemplo, tem um sentido, um significado

Que a noção de humanidade é uma coisa mais coletiva, na qual se tem a idéia de pertencimento e que, portanto, o líder espiritualizado – mais do que aquele que fica fazendo meditações e orações – é aquele capaz de olhar o outro como o outro, deinspirar, de elevar a obraem vez de simplesmente rebaixar as pessoas.

Então, essa espiritualidade é a capacidade de respeitar o outro como o outro e não como um estranho e, edificar, em conjunto, um sentido(como significado e direção) que honre nossa vida.      …….

O desejo por espiritualidade é um sinal de descontentamento muito grande com o rumo que muitas situações estão tomando e, por isso, é uma grande queixa.

E a espiritualidade vem à tona quando você precisa refletir sobre si mesmo; aliás, a espiritualidade é precedida pela angústia.

De maneira geral, a angústia é um sentimento sem objeto.

Quando você fica triste, é por alguma coisa.

Quando você fica alegre, é por algum motivo.

A angústia se sente e não identifica o objeto. 

Você se levanta e “não sei o que está acontecendo, estou com uma coisa, um aperto aqui no peito”. É uma sensação de “vazio interior”.                    ……..

A espiritualidade é a resposta a um desejo forte de a vida ter sentido, de ela não se esgotar bem naquele momento, nem naquele trabalho.      ……

Em relação ao mundo do trabalho, eu não tenho nem uma visão catastrófica nem uma visão triunfalista.

Acredito que nós estamos hoje com uma crise no conjunto da vida social, do qual o trabalho é apenas um pedaço.   …….

Nós estamos num momento muito forte em relação aos valores.

Dessa forma, insisto, o mundo do trabalho é um mundo no qual cabe a alegria, a fruição.

Temos carência profunda e necessidade urgente de a vida ser muito mais a realização de uma obra do que a de um fardo que se carrega no dia-a-dia.

Qual é a tua obra?
Seu trabalho te realiza?