Bolo Pega Marido

É um bolo cremoso super gostoso e muito fácil de fazer____(tudo no liquidificador)

Ingredientes:

  -01 lata de leite condensado,
 mesma medida da lata de leite integral ,
 mesma medida da lata de leite de coco,
 mesma medida da lata de farinha de trigo especial,
 meia medida da lata de açúcar,
 03 ovos grandes inteiros,
 03 colheres de  sopa de margarina .

Modo de fazer:

 Bata todos os ingredientes muito bem no liqüidificador.  Coloque essa mistura numa fôrma untada e polvilhada.  Leve ao forno médio até dourar. Faça o teste do palito para retirar do forno.
O bolo fica com consistência de uma queijada e é incrívelmente  gostoso!

 NÃO LEVA FERMENTO

Recebi este texto de uma amiguinha, Elaine Cuiaba, que pertence ao um grupo de artesãos
chamado ‘artesanatocomlinhas’. É um grupo muito interessante onde os integrantes dividem receitas, paps e mensagens lindas.

 




Imagine que a vida é um rio, que de um lado da margem está você e do outro,
os seus sonhos.

Muitas pessoas conseguem enxergar facilmente a margem do outro lado do rio
porque colocam seus sonhos em local de fácil alcance, onde o podem avistar sempre.
Outros no entanto, colocam seus sonhos tão longe de suas vistas, desejam coisas tão malucas, que nem com o binóculo mais potente conseguem enxergar o outro lado.

Para chegar aos sonhos, a vida nos oferece um barco chamado “esperança” com dois remos. Um dos remos chama-se “fé”, a outra “ação”.
Muitos possuem tanta fé que usam apenas esse remo para alcançar seus objetivos
e o barco da esperança não sai do lugar, fica rodando em volta sem direção e cada vez mais longe do destino.

Outros, ansiosos e truculentos, acreditando em suas forças, pegam apenas o remo “ação” e também não saem do lugar, remam, remam e remam até ficarem cansados e desistem dos seus sonhos por julgarem impossível atravessar o rio da vida.

Normalmente, têm sempre uma desculpa para seu fracasso, e quase sempre é culpa de outras pessoas ou das condições do Universo.

Aqueles que são humildes o bastante para aprender a lição, entram no barco da esperança e pegam os dois remos, unem a fé com a ação e atravessam o rio várias vezes na sua vida, porque aprenderam que não existe conquista apenas pela força e nem vitória apenas com a fé.

Pegue seu barco (esperança), junte os remos(fé + ação) e atravesse o rio da vida com mais tranquilidade.

 

 Paulo Roberto Gaefke

Marcela Catunda: Faz mais barato? | Blog Elo 7

Quantas vezes ao longo da nossa existência enquanto profissionais do feito à mão já não escutamos isso? É cem? Faz por vinte? Dá um desconto de 35%? E de 40%?
Não dá pra você fazer por metade do preço e me dar o frete de graça? Eu tô aqui do lado, no Azerbaijão. Não dá? Ah vá!
Exageros à parte e outra parte nem tanto exagero, a verdade é que esse tipo de pergunta com clima de proposta dói. Dói muito. Ai, como dói. Dói demais. E só quem sente a pontada no esôfago pode traduzir tal sensação. Aliás, ela vem em estágios:
  • Primeiro estágio A IRA, como alguém tem coragem de reduzir meu produto a nada ao ponto de ter a cara de pau de pedir um desconto praticamente do valor dele? Quer de presente, neném? Vá se catar.
  • Segundo estágio A BARGANHA, então nos voltamos para o nosso centro (quando o encontramos), escolhemos um mantra, respiramos bem fundo e partimos para uma contra proposta. Mesmo sabendo que, na maioria das vezes essa contra proposta não é sequer compreendida ou respondida… Não sei ainda o que é pior. Porque quando ela é respondida faz com que nos sintamos más, mesquinhas, bruxas cruéis cruzando o céu com suas vassouras. Durma com um barulho desses. Aliás, tal barulho encadeia o próximo estágio…
  • Terceiro estágio A CULPA, você se pega pensando na vida da pessoa que pediu o desconto, numa casa simples, necessitada daquela almofadinha bordada que você não teve a bondade de vender por menos da metade do preço… Daí pensa, será que era uma estrela internacional? Será que era a Madona disfarçada de compradora comum? Deus! Terei eu deixado de vender uma almofada com desconto para o Prince? Ou pior, para a Duquesa de Cambridge? Não. Não, claro que não. Isso é só um delírio da culpa. Culpa por não ter praticamente dado de graça um produto que demorei semanas pra fazer entre pesquisas, compras de tecidos, desenhos, bordados… Que espécie de pessoa se negaria a dar de graça seu ganha pão? Só uma bruxa mesmo. Ah tá!
  • O último estágio é um final feliz, normalmente a hora em que alguém sem titubear joga no carrinho aquele produto ex fruto da ira, da barganha e da culpa, transformando aquela transação comercial em um momento inesquecível de felicidade e regozijo. Ai, como eu sou feliz!
Vida de montanha russa. Ela é assim pra todo mundo. Em todos os setores, creio eu. Vezes no topo, outra despencando, noutra com aquela água vindo na cara, na hora que o carrinho bate naquele riozinho de água parada… Que beleza!
Tudo que fazemos, bordamos e costuramos é vida. E ela não dá desconto.Não é fácil defender nossas ideias, nossos produtos. É difícil pra algumas pessoas entenderem que o produto não é só aquilo que está ali na frente dele, no nosso caso, numa foto linda. Ele é mais do que isso. Existe uma vida antes e por trás dele. Pesquisa, tentativas e erros, dias, tardes, noites de pensamentos e trabalho. E tem a gente, a nossa vida, as roupas pra lavar, a casa pra arrumar, as flores pra colocar no vaso e combinar com a manta do sofá, que cobre aquele pedaço arranhado pelos gatos… E tem o almoço, pra quem tem filhos as crianças. E isso tudo, senhoras e senhores tá lá no preço. Tá na vida da gente. Porque tudo que fazemos, bordamos e costuramos é vida. E ela não dá desconto e ponto.
Só um descontinho eu dou 😀
A gente tem que dar. Mas sempre valorizando o nosso trabalho, atravessando nossos estágios com dignidade. Sem medo de perder aquele cliente por isso. Uma vez uma amiga me disse uma coisa que eu nunca mais esqueci, ela disse que o segredo da vida era ser boa sem ser boba. Difícil missão, mas bem longe de ser impossível.

Imagens Natalinas

Pois é,  o Natal logo estará ai e já é hora de preparamos nossa decoração como: pintura em panos de prato, madeira, aplicação e tudo mais que nossa  imaginação tiver.
Para auxiliar a todos, achei algumas imagens lindas na  net para esse evento.

   

Chinelo customizado

Para quem gosta de sandálias havaianas customizadas, nada mais interessante do que fazer decoupage já que   esse trabalho é rápido, estiloso e todo mundo se apaixonam cada dia mais.
Existem vários  estilos de decoupage e um deles  é com tecido.
 Abaixo segue um passo a passo:
1º  Retirar as tiras com auxílio de alicate para bijuteria;
2º  passar cola pano da Glitter em todo o chinelo, colocar o tecido em cima e alisar bem para não ficar com bolha;
3º  Deixar secar por 6 horas;
4º Tornar a passar cola pano em cima do tecido e deixar secar por mais 4 horas; 
5º  Com uma tesoura da ponta bem fina cortar o tecido que sobra do chinelo e novamente passar cola pano;
6º  A palmilha está pronta;
7º Cole a pontinha da fita de cetim de 1 1/2 dedo de largura com cola quente e vá enrolando em toda tira. Você pode fazer uma flor de sianinha e pôr em cima ou usar  sua criatividade.
O chinelo só poderá ser usado após 72 horas.